MUSEU DE ARTE CINÉTICA

ARTE EM MOVIMENTO – UM MUSEU INTERATIVO

A ideia para o tema do museu nasceu da busca por um espaço que não só abrigasse exposições estáticas e de contemplação, mas que pudesse apresentar um conteúdo que tivesse movimento e até mesmo, a interação por parte dos visitantes.

E nesse mesmo questionamento que o tema já é expresso e passa a ser desenvolvido em todos os seus aspectos: o movimento. De maneira que isto pode se manifestar em diversas expressões artísticas, seja ela a pintura, a escultura, a dança (puro movimento do corpo), entre outras.

Com isso, abre-se uma grande gama de maneiras de se realisar as exposições, ao explorar a temática do movimento e propiciar a interatividade em diversas destas exposições.

Além disso, o próprio espaço, a própria manifestação arquitetônica pode ter ou gerar movimento, sejam de elementos de sua composição, seja de pessoas conforme a conformação das circulações ou dos espaços públicos e suas articulações. Tudo isto em busca da participação dos visitantes, da interação.

O DESENVOLVIMENTO DA ARTE CINÉTICA

Uma das questões fundamentais que surgiram ao decidir o tema do museu foi o conteúdo de suas exposições, o que já foi produzido e quais as possibilidades.

Acontece que o tema já é explorado por artistas de diversas categorias e há um bom tempo, de forma que já existem diversos tipos de manifestações artísticas que são conhecidas como arte cinética. Dentre elas, podemos citar a ilusão de ótica em imagens em duas dimensões e que parecem estar em movimento, devido ao encadeamento das formas e das cores, a ilusão anamórfica, pintura que muda conforme a posição do observador, as esculturas cinéticas, que se movem de diversas maneiras, algumas com o vento (Figura 13), outras eletrônicamente, outras através da manipulação remota de um ser humano e algumas até com estímulos sonoros. E por que não citar a animação gráfica, imagem em movimento e até mesmo a dança, a exploração do movimento do próprio corpo humano, que pode ser uma das maneiras mais interativas de exposição de um espaço vivo como este que é buscado.

Uma outra forma importante de arte de movimento são as projeções multimídia que podem apresentar conteúdos como os do site http://dvdp.tumblr.com/ e que podem ser considerados com pinturas em movimento.

Finalmente, podemos destacar alguns nomes que exploraram a arte cinética de maneiras interessantes e que inspiraram muitas outras manifestações. Como por exemplo o americano Alexander Calder, famoso pela elaboração de móbiles. Ou então, o Holandês M.C. Escher que em diversas de suas gravuras, soube muito bem abordar o movimento de maneira que estas imagens pareçam vivas.

FICHA TÉCNICA

Nome: Museu de Arte Cinética
Local: Liberdade – São Paulo – SP
Área do Terreno: 600 m²
Data do Projeto: Novembro, 2012
Projeto de Arquitetura: Marcell Alencar

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

    EQUIPE_MINIMA_1x1

    SOBRE NÓS

    O mínima é uma empresa que está em constante busca por formas inovadoras de realizar seu trabalho. SAIBA MAIS AQUI

    COMPARTILHE

    Share on FacebookPin on PinterestGoogle+Tweet about this on Twitter